O que são os desreguladores hormonais e como evitá-los? - Studio Pipoca

O que são os desreguladores hormonais e como evitá-los?

 Entenda melhor o que são desreguladores hormonais na saúde das crianças, como eles afetam nosso organismo e dicas práticas para evitá-los no dia a dia.
A importância da economia circular no mundo infantil Lendo O que são os desreguladores hormonais e como evitá-los? 7 minuto

Nos dias de hoje, estamos cada vez mais expostos a uma variedade de substâncias químicas que podem afetar o funcionamento normal do nosso corpo. Entre essas substâncias estão os desreguladores hormonais, também conhecidos como disruptores endócrinos. Para este artigo, convidamos a Dra. Luisa Helena, médica endocrinologista pediatra, para entender melhor o que são os desreguladores hormonais e como ler os rótulos dos produtos para escolher aqueles que são menos nocivos para nossa saúde e dos nossos bebês.

O que são os Desreguladores Hormonais?

Nos últimos 30 anos, notamos uma crescente incidência de problemas hormonais em crianças e há boas razões para a suspeita de que a crescente produção e utilização de produtos químicos estejam relacionadas a esse aumento, incluindo problemas reprodutivos masculinos (criptorquidia, hipospádia, câncer testicular), infertilidade, puberdade feminina precoce, leucemia, câncer cerebral e distúrbios neurocomportamentais

Os disruptores endócrinos, ou desreguladores hormonais, são substâncias químicas que interferem no funcionamento dos nossos hormônios, podendo causar uma variedade de efeitos adversos na saúde como um todo. Eles confundem a ação dos nossos hormônios interferindo na sua produção ou ação. 

O conceito DOHaD (Developmental Origins of Health and Disease) sugere que as condições de saúde e doença na vida adulta são, em grande parte, determinadas por fatores ambientais e nutricionais durante o desenvolvimento intrauterino e nos primeiros anos de vida. Este conceito reforça a importância dos primeiros mil dias de vida, que incluem o período gestacional e os dois primeiros anos de vida do bebê. 

Durante esse período crítico, a exposição a disruptores endócrinos pode ter efeitos duradouros na saúde, influenciando o risco de doenças crônicas como diabetes, obesidade e doenças cardiovasculares. Esses compostos estão em todos os lugares e podem ser facilmente encontrados em produtos como plásticos (até mesmo em brinquedos), pesticidas, cosméticos e alimentos.

Para protegermos nossa saúde a longo prazo,precisamos minimizar a exposição a disruptores endócrinos, especialmente nos primeiros mil dias de vida do bebê. A conscientização e a adoção de práticas de vida saudável podem contribuir significativamente para a saúde das futuras gerações.

Algumas dicas práticas para adotar na sua casa:

  1. Alimentação: Prefira alimentos orgânicos para reduzir a ingestão de pesticidas. Lave bem frutas e verduras. Evite fast food e alimentos processados.
  2. Plásticos: Evite o uso de plásticos que contenham bisfenol A (BPA) e ftalatos. Jamais esquente alimentos em recipientes plásticos. Prefira recipientes de vidro ou aço inoxidável.
  3. Cosméticos: Opte por produtos naturais, livres de parabenos, triclosan, BHT, ftalatos e fragrâncias artificiais.
  4. Limpeza: Lave bem as mãos e deixe os sapatos do lado de fora. Use produtos de limpeza ecológicos e evite desinfetantes com compostos antibacterianos.

Lendo rótulos dos produtos 

Levando em consideração a importância dos primeiros mil dias, precisamos fazer escolhas conscientes de produtos cosméticos utilizados por gestantes e por bebês. A pele do bebê é 30% mais fina que a pele de um adulto, o que permite maior absorção dos produtos. 

Além disso, os bebês são pequenos - ou seja - possuem menor superfície corpórea que um adulto, então qualquer quantidade de produto é mais concentrada para eles. Muitas vezes são submetidos a vários banhos e trocas de fraldas por dia, como necessidade de uso de produtos de higiene.

E como escolher produtos menos nocivos aos nossos bebês?

Para escolhermos um cosmético limpo (sem toxinas ou desreguladores hormonais), precisamos aprender a ler rótulos, aqui vão algumas dicas:

  • Leia toda a composição e não apenas os ingredientes ativos.
  • A ordem dos ingredientes pode ser importante, mas não é uma regra. Por convenção, porém não obrigatória, os ingredientes são listados em ordem decrescente de concentração. Os primeiros listados costumam estar em maior quantidade.
  • Verifique se o produto possui certificações como "orgânico", "natural" ou "livre de crueldade" (cruelty-free). Ser vegano não é garantia de produto limpo. Procure por selos como USDA Organic, Ecocert, e COSMOS - são boas referências.
  • Conte com a ajuda de aplicativos ou sites para avaliar a segurança dos ingredientes do produto, recomendo o EWG’s Skin Deep Database ou Inci Beauty.

Itens polêmicos na composição de cosméticos a serem evitados:

- Parabenos (methylparaben, ethylparaben, propylparaben, butylparaben):

Conservantes químicos que podem se acumular no organismo causando irritações, alergias, dermatite de contato e sensibilização cutânea.

- Lilial (Butylphenyl Methylpropional):

É uma fragrância sintética utilizada em diferentes tipos de produtos cosméticos e não cosméticos, como detergentes e produtos de limpeza domésticos. Este composto químico pode causar irritações na pele e nos olhos. A Agência Europeia de Produtos Químicos (ECHA) classificou Lilial como uma substância que pode prejudicar a fertilidade.

- BHT (butil-hidroxitolueno):

Antioxidantes sintéticos usados como conservantes em cosméticos e alimentos. Podem causar reações alérgicas na pele, distúrbios hormonais e são suspeitos de serem carcinógenos.

- Perfume (fragrância):

Compostos químicos usados para dar cheiro aos produtos cosméticos. Podem causar alergias e coceiras na pele e couro cabeludo.

- Ciclopentasiloxano (cyclopentasiloxane):

Compostos sintéticos usados para dar aos produtos uma textura suave e criar uma barreira protetora na pele. Podem obstruir os poros e causar irritação ou reações alérgicas na pele.

- Ácido Salicílico:

Conhecido por suas propriedades esfoliantes, anti-inflamatórias e antibacterianas, o ácido é utilizado em produtos de cuidados com a pele. Pode causar coceira, descamação e irritação na pele.

- Fenoxietanol:

Conservante utilizado para inibir o crescimento de bactérias e fungos, mas pode causar irritação em pessoas com pele sensível, levando a sintomas como vermelhidão, coceira e desconforto.

- Formaldeído (DMDM- hidantoin, 2-bromo-2nitripropropane-1,3-diol):

Conservantes que ajudam a prevenir o crescimento de microorganismos. O formaldeído pode causar reações alérgicas na pele e problemas respiratórios.

- Alumínio:

Elemento químico amplamente utilizado em diversos produtos de cuidados pessoais e cosméticos, principalmente em antitranspirantes e desodorantes. O alumínio pode imitar o estrogênio, um hormônio que pode promover o crescimento de células cancerosas.

- Ftalatos (phtalate):

Usados para dar brilho e intensificar a fragrância dos produtos, estão associados ao câncer de mama e a disfunções hormonais. Também podem provocar irritações cutâneas e alergias.

- Oxybenzone (benzophenone), Homosalate,Ethylhexyl Methoxycinnamate e Octrocrylene: 

Ingredientes ativos em muitos protetores solares químicos. Podem ser absorvidos pela pele e agir como desreguladores hormonais, além de causar danos aos corais marinhos.

- Tributyl Citrate:

Composto químico utilizado em fragrâncias e perfumes para prolongar a durabilidade do aroma. Também pode ser encontrado em cremes e produtos para cabelo, onde atua para suavizar e hidratar a pele e o cabelo. Pode causar irritação ou sensibilização na pele.

- Triclosan:

Substância bacteriostática que, em contato com a luz solar, sofre degradação e transforma-se em um produto tóxico. Não deve ser utilizado por mães que estão amamentando, pois pode ser transferido para o bebê pelo leite materno.


Ao escolher os cosméticos, é importante ler os rótulos dos produtos e optar por aqueles que utilizam ingredientes naturais e seguros. Muitos consumidores estão cada vez mais conscientes dos riscos associados a esses ingredientes polêmicos e preferem marcas que são transparentes sobre suas formulações e comprometidas com a segurança e sustentabilidade. 

Gostaríamos de agradecer a Luisa Helena, médica endocrinologista pediatra, por compartilhar seu conhecimento e experiência conosco. Nas redes sociais, ela compartilha diariamente conteúdo sobre infância saudável e produtos limpos para gestantes e crianças. E neste ebook, você encontra mais de 130 produtos infantis analisados por ela com carinho e cuidado para entender melhor cada produto.

Você conhecia os desreguladores hormonais? Você costuma ler e entender os rótulos dos produtos de cosméticos que você usa? Compartilhe aqui com a gente!



Deixar um comentário

Todos os comentários são revisados antes de serem publicados.

Este site é protegido por reCAPTCHA e a Política de privacidade e os Termos de serviço do Google se aplicam.

ENTREGAMOS TODO BRASIL