A vida depois do COVID-19: O que podemos mudar no dia dia?

0 comentários

Vamos combinar? Nossa vida antes do Covid-19 não estava normal. Se fosse assim, não viveríamos a emergência climática, o início da sexta extinção em massa ou a depressão seria considerada uma epidemia global. Sim, o “normal” era um problema que vinha adoecendo o planeta e as pessoas, além de ter facilitado o espalhamento do novo coronavírus pelo mundo em tempo recorde, quando comparado a outras pandemias na história.

Muitas pessoas já vinham se dando conta da anormalidade do status quo e da urgência em repensar seus hábitos e formas de viver. Esse movimento, inclusive, vinha em uma crescente nos últimos anos e agora ganha o reforço de quem sabe que após o Covid-19 precisamos repensar um novo mundo.

O Mundo pós-Covid-19: construindo o novo normal juntos

Não temos a pretensão de saber como será a vida no futuro. O ponto é focar em algumas mudanças que cada um pode fazer agora. Lembrando que aquilo que é uma mudança profunda no meu estilo de vida, pode ser uma pequena mudança para você, e vice versa. Ou seja, o tamanho da mudança é subjetivo para cada um. 

Na nossa lista, separamos somente algumas mudanças possíveis de serem aplicadas no cotidiano que achamos bacanas e capazes de ajudar a melhorar o meio ambiente. E só ver quais são as mais fáceis de aplicar em sua vida e começar!

1. Viajar de avião somente uma vez por ano:

Os aviões permitem a gente se deslocar a pontos distantes com rapidez, inclusive cruzando oceanos, mas para isso emitem um grande volume de gases estufa e poluição sonora. É importante que pessoas e empresas tentem se organizar para diminuir ao máximo as viagens de avião. Uma viagem por ano é o ideal.

Claro que isso é uma dificuldade em um país com malha ferroviária quase inexistente como no Brasil, mas o esforço vale muito a pena para o planeta. Além disso, viagens de turismo para locais próximos, contribuem para o desenvolvimento local, ou seja, o ganho é duplo!

2. Trabalhar por propósito:

Não é segredo que muitos trabalhadores são infelizes com suas funções. A necessidade de sustento nos empurra para trabalhos que não fazem qualquer sentido. Usamos nosso tempo sem que haja satisfação. Trabalhar alinhados ao nosso propósito enche a vida de significado, aumentando nosso bem estar. Essa é uma mudança muito difícil, mas que com certeza vale muito a pena quando concretizada.

Com relação ao trabalho ainda é importante adotarmos práticas sustentáveis, como ir ao local de trabalho de bicicleta, transporte público ou carona, trabalhar quando possível de casa, etc.

3. Mudar a alimentação:

Hoje a forma como produzimos e consumimos alimentos são causadores de alguns dos maiores impactos ambientais, além de afetar a nossa saúde física e mental – nossa saúde mental está intimamente ligada ao equilíbrio químico de nosso organismo, que por sua vez é afetado, entre outros fatores, pelo o que comemos. Comer produtos locais e sazonais, referencialmente diminuindo drasticamente o consumo de carne, é uma opção que oferece ganhos para todos: para o planeta, para a sua saúde e para as comunidades.

Sim! A mudança que queremos ver no mundo começa pelo nosso prato. Ah! É importante reforçar: é sim possível ter uma dieta balanceada sem carne – ou com pouca carne – especialmente no Brasil, país rico em variedades de leguminosas, legumes, verduras e frutas.

4. Ter uma horta em casa ou no bairro:

Já pensou poder comer alimentos que você mesmo plantou e viu crescer sem usar agrotóxicos, direto de seu jardim ou de uma horta comunitária de seu bairro? Essa última opção é ainda mais legal, pois reforça os laços de comunidade. O uso indiscriminado de defensivos agrícolas químicos vem empobrecendo solos, matando a diversidade e exterminando agentes polinizadores essenciais para o planeta, como as abelhas. Os alimentos orgânicos são uma solução importante para o novo normal.

Se você não tem espaço ou local para cultivar, uma saída é procurar cestas de alimentos orgânicos de produtores locais. Muitos entregam em casa ou permitem a retirada. Ah! Ao contrário do que se pensa por aí, comprar orgânico direto do produtor não é tão mais caro.

5. Reparar ou reutilizar objetos:

Um dos grandes problemas do “antigo normal” era a imensa quantidade de lixo que produzíamos. Para a sociedade de consumo gerar lucro, era preciso que as pessoas descartassem rápido e comprassem muito. Mas não queremos viver em um grande aterro sanitário, não é mesmo?

Por isso, consertar e inventar novos usos para objetos antigos é uma atitude essencial que precisa ser cada vez mais difundida. Uma alternativa para isso é revender ou mesmo doar esses objetos – mas doe para quem precisa de verdade, não terceirize o descarte!

6. Evitar as embalagens de plástico:

Quem visita um supermercado pode acreditar que o plástico e os alimentos foram feitos um para o outro, de tantas embalagens e vasilhames produzidos com o material que embalam as comidas. Embora o plástico seja reciclável, apenas uma pequena parte desse tipo de resíduo é reciclado, a maioria do plástico acaba em lixões e na natureza, onde demoram centenas de anos para se decompor.

Prefira sempre que possível comprar itens a granel e em caso da necessidade prefira vasilhames de vidros, sacolas de pano, sacolas de papel ou caixas de papelão. Você pode encontrar esses acessórios e outros produtos ecológicos no Agora Sou Eco.

7. Desapegar do carro:

Os carros são os vilões da atmosfera, emitindo um alto volume de gases estufa. Essa realidade pode até mudar no futuro com os veículos elétricos ou movidos a hidrogênio, mas por enquanto esse é o cenário. Você não precisa abrir mão de seu carro de vez, mas que tal desapegar do veículo e andar mais a pé, de bicicleta ou mesmo de transporte público? O planeta sai ganhando e sua saúde também, afinal, o corpo foi feito para se movimentar!

8. Fabricar os próprios produtos de higiene ou limpeza:

As grandes fabricantes de produtos de higiene ou limpeza infelizmente adotam práticas para atingir a escala industrial que são minimamente questionáveis, do teste em animais passando pelo despejo de agentes químicos no meio ambiente. Existe um forte movimento de autoprodução de produtos de higiene ou limpeza que permitem manter você e sua casa limpos sem riscos para a saúde ou para o planeta. Além de oferecer uma ótima sensação de autonomia.

Vale a pena começar a testar e aos poucos ir dizendo adeus a velhas marcas. No Instagram, a conta Menos 1 Lixo da Fê Cortez te ensina a produzir seus produtos em casa, além de ter excelentes dicas para reduzir a produção de lixo no geral.

9. Repensar o consumo:

O consumo era um dos aspectos mais “adoecidos” do mundo antes da Covid-19, com impactos profundos tanto no planeta quanto em nossa saúde mental. Consumimos não apenas por necessidades reais, mas em busca de satisfação e inclusão.

Agora é hora de repensar. Antes de comprar, pare e pense: “será que eu preciso mesmo disso?”. Se a resposta for não, evite a compra. Considere a troca, compartilhamento, o reuso e o conserto sempre como primeiras opções.

10. Fazer a triagem de sua caixa de e-mail e cuidado com o consumo de informação:

Um novo normal precisa ser construído com pessoas com maior bem estar e saúde mental. E para isso é preciso ser capaz de filtrar informações. O excesso de informações do ambiente digital nos deixa estressados, angustiados e causam estafa. É urgente desenvolver nossa capacidade de filtrar as informações que acessamos ou chegam até nós e conseguir desapegar do digital.

O problema aqui não é a ferramenta, mas a forma como utilizamos.

11. Não usar sistemas de climatização em excesso:

Estar dentro de um ambiente com conforto térmico adequado é ótimo. A temperatura influencia no nosso bem estar, humor, foco, etc.

O problema é que os sistemas de climatização atuais ainda exigem um gasto energético alto, o que contribui favoravelmente para as mudanças climáticas. Sim, o ar condicionado que você usa para deixar sua sala mais fria, pode estar deixando o planeta mais quente.

12. Colocar a mão na massa:

Bem, os desafios que o planeta e a humanidade têm pela frente são gigantescos. Por mais que ações individuais sejam importantes, é na ação coletiva que provocamos as maiores transformações. Tente encontrar uma organização, coletivo ou grupo de pessoas que realizem ações que provoquem impacto social com as quais você se identifique. Doe seu tempo e coloque a mão na massa para ser a mudança que quer ver no mundo!

Ufa! Não vai ser fácil, mas essas são somente algumas ideias de mudanças do cotidiano, esperamos que elas ajudem cada um a refletir!

Agora... Conta para nós: o que você pretende mudar na sua vida após a Covid-19? Vamos juntos?

Até a próxima!

Deixe um comentário

Todos os comentários serão validados antes de serem publicados
Parabéns, agora você faz parte!