Conheça a Greta Thunberg e a nova geração que vai mudar o mundo

1 comentário

No momento em que nos escrevemos essas linhas, Greta Thunberg fala para os principais líderes e atores econômicos no Fórum Econômico Mundial, realizado anualmente em Davos, Suíça. Não é a primeira vez que a jovem ativista sueca, de apenas 17 anos e portadora da síndrome de Asperger, é ouvida por uma plateia tão seleta. Em setembro de 2019, Greta fez um emocionante discurso na Cúpula do Clima da ONU.

"How dare are you?" perguntou as lideranças de mais de 60 nações, representando milhões que assim como ela enxergam em choque a incapacidade de ação diante das mudanças climáticas que podem levar a raça humana à extinção. 

 Não. Não há exagero nessa frase. Relatório produzido por 150 especialistas de 50 países divulgado ano passado, aponta que vivemos um momento crítico na história da Terra.

O documento indica uma aceleração no nível de extinção das espécies, sendo que até 1 milhão delas podem ser extintas nas próximas décadas. Os resultados levam muitos cientistas a apontar que estamos vivendo o início da 6ª extinção em massa da história do planeta! E o principal motivo para isso é a ação humana. Ação humana que, entre outras consequências, acelera o aquecimento da Terra, levando o mundo a um ponto dramático que se não for contido AGORA resultará em um planeta extremamente hostil.

Essa situação não é uma grande novidade. Há pelo menos duas décadas cientistas alertam sobre o problema. Hoje, porém, a situação se escancara com o aumento dos eventos extremos que ocorrem em escala global. Inundações, secas prolongadas, tufões, e furacões e cada vez mais fortes, tornam-se fatos comuns nos noticiários. E as consequências desses efeitos invariavelmente atingem profundamente os mais pobres.

Mesmo assim, o que tem sido feito até agora pelos governos e grandes nomes da iniciativa privada, é muito pouco ou quase nada. Há mais de uma década os líderes globais se reúnem em busca de tratados que nunca são implantados em sua totalidade.

Diante desse cenário desolador é fácil compreender a frustração da juventude de hoje. Nós, TODOS nós, estamos tolhendo o futuro que pertence a eles em um ciclo de irresponsabilidade que parece não ter fim!

Greta Thunberg faz parte dessa geração que possivelmente será a mais afetada pela falta de ação e compreensão sobre a questão climática. Uma geração altamente informada e que tem medo do futuro. Uma geração que vem ensinando os adultos. Uma geração que rejeita os velhos valores que construíram o capitalismo do século XX.

A geração Z não tem medo de desprezar o dinheiro, o consumismo, o egocentrismo e, por consequência, o capitalismo. Viver com senso, com direção, com empatia e se entendendo como parte da coletividade faz muito mais sentido a esses jovens.

E deveria fazer sentido a todos, não é mesmo? Afinal, o bem estar coletivo é imprescindível para alcançar o bem estar individual.

Greta Thunberg: a personalidade de 2019

Greta vive em um dos países com melhor índice de desenvolvimento humano do mundo, a Suécia, sendo filha de pais ligados à arte. Sua mãe é uma das principais cantoras de ópera do país e seu pai é ator, assim como seus avós paternos. Esse pano de fundo permitiu que mesmo sendo portadora de asperger, a jovem tenha se desenvolvido plenamente. Com isso não quero dizer que o asperger por si só é incapacitante, pelo contrário, a própria Greta já caracterizou a síndrome como um “superpoder”.

Não podemos negar, porém, que toda a estrutura a que ela felizmente teve acesso, contribuiu positivamente em seu desenvolvimento. Todas as crianças deveriam ter essa oportunidade.

A primeira vez que Greta ouviu falar sobre o aquecimento global e a mudança climática, foi na escola, quando tinha apenas oito anos de idade. Segundo a própria, em entrevista, o assunto a abalou tanto, que em 2011 ela desenvolveu uma depressão profunda. Desde então, Greta procurou se dedicar a compreender o fenômeno, absorvendo máximo de informação possível sobre o tema, até que em agosto de 2018, com 15 anos de idade, resolveu agir.

Aqui cabe um parêntese: apesar de Greta Thunberg ter dominado os noticiários durante o ano passado, sendo escolhida, inclusive, como personalidade do ano pela prestigiada revista Times, confesso que pouco sabiamos sobre sua história. Descobrimos - e nos encantamos – mais sobre ela a partir de um livro infantil que vale muito a pena conhecer e ler para os pequenos: “ A História de Greta – Ninguém é Pequeno Demais Para Fazer a Diferença” de Valentina Camerini.

Voltando a história...Em 2018 a Suécia foi atingida por fortes ondas de calor durante o verão europeu, gerando graves incêndios florestais.

Em 20 de agosto, Greta Thunberg iniciou uma greve escolar, indo a frente do parlamento sueco diariamente para exigir que o governo de seu país reduzisse as emissões de carbono e cumprisse o Acordo de Paris. Essa primeira ação, que começou sozinha, durou ate o dia 9 de setembro, quando ocorreram eleições gerais no país escandinavo. Passada as eleições, Greta decidiu dar continuidade a greve, deixando de ir a escola todas as sextas-feiras desde então.

Na era da hiperinformação, das redes sociais e de uma juventude angustiada com o futuro e indignada, rapidamente a iniciativa chamou a atenção e se espalhou pelo mundo.

Greves escolares passaram a ocorrer em diversos países, dando origem ao movimento Fridays For Future, hoje presente em nações de todos os continentes e com uma capacidade de manifestação e aglutinação crescentes. O Fridays for  Future encabeçou as maiores manifestações globais em prol do meio ambiente da história, levando milhões as ruas em mais de uma ocasião.

No Brasil, a organização ainda é tímida, refletindo a falta de senso de urgência da população local sobre o tema das mudanças climáticas. Mas nós acreditamos que em breve esse cenário vai mudar. A Amazônia, que sofreu um dramático aumento de queimadas em 2019, com a fumaça dos incêndios chegando até São Paulo, tornou-se parte do debate cotidiano, por exemplo.

O que impressiona em Greta Thunberg é a paixão com que ela encara a questão. Seus discursos – como a palestra realizada no TEDX, o proferido durante a COP 24 e o já citado na conferência da ONU de 2019 - viralizam na internet e, unidos a sua coerência na ação – é vegana, não viaja de avião, entre outras atitudes que visam diminuir sua pegada ecológica – conquistam jovens e adultos pelo mundo todo.

Tanta exposição e influência provoca o horror em alguns líderes e já fez a jovem ativista ser atacada diretamente por figuras como Donald Trump, Vladimir Putin e Jair Bolsanaro, além de ser vitima de notícias falsas, teorias conspiratórias e assédio virtual. Esses ataques não são ao acaso. Todos esses líderes, embora se vendam como anti-establishment, são defensores da velha ordem e respondem as crises globais que vivemos com antigas fórmulas e um reacionarismo gritante.

Nada disso, porém, afeta Greta, que costuma responder os ataques com ironia, e segue firme em sua luta pelo planeta. Não tenho dúvidas que a ativista é a melhor coisa que aconteceu para o mundo no ano passado! É incrível como uma jovem é capaz chamar a atenção para um problema urgente que era solenemente ignorado, apesar de todo o apelo da comunidade científica, apontando o dedo sem medo para os culpados.

O caminho para a construção de um futuro possível a nós, para nossos filhos e netos não será fácil. Ainda hoje, apesar de todas as evidências, existe quem negue a emergência climática, inclusive ocupando cargos de poder, tratando o tema como conspiração.

A realidade é que essa gente tem horror só em pensar em uma mudança de sistema e valores que freie a destruição da Terra. Para esses, o lucro e o dinheiro são mais importante que uma iminente extinção em massa. Para esses, nos unimos a Greta e dizemos que não vamos aceitar o ecocídio em marcha, que não iremos nos curvar a sentimentos mesquinhos e a total falta de noção da coletividade.

Que Greta Thunberg, assim como toda a nova geração de ativistas de diferentes partes do globo, continue a nos ensinar e a inspirar. O futuro será nosso, ou então não haverá futuro.

Vamos juntos cuidar de nosso planeta e construir outro mundo possível, reconectando o homem a natureza e vivendo em equilíbrio!

Até a próxima!

1 comentário

  • Postado em porIvan lima
    Como uma geração que não se é homem ou mulher, vai mudar o mundo?

Deixe um comentário

Todos os comentários serão validados antes de serem publicados
Parabéns, agora você faz parte!