Crianças & Pets: Benefícios dessa relação

0 comentários

É comum que pais de filhos pequenos fiquem na dúvida sobre o que fazer quando as crianças pedem para ter um pet em casa. Motivos para isso não faltam, do receio de como será a interação do animal com os pequenos passando pelos gastos e responsabilidades extras que chegam junto com o novo morador da casa. A decisão de ter ou não um bichinho em casa precisa ser muito bem pensada e avaliada. Infelizmente, ainda hoje, milhares de animais são abandonados por seus tutores com as mais diversas – e perversas – justificativas. Um animal não é presente, não é brinquedo. É um ser vivo senciente que demanda cuidados, carinho e atenção que estará presente na sua vida por muitos anos. Abandono de animais é um ato de crueldade e é CRIME. Apenas a cidade de São Paulo conta com 2 milhões de pets vivendo nas ruas, número que não para de crescer com a pandemia. A crise financeira e o maior tempo em caso provocou uma explosão dos casos de abandono. Em março de 2021 foi registrado o recorde de abandono de animais domésticos.

Se você entende e está ciente da responsabilidade que está envolvida no ato de levar um pet para o seu lar, mas ainda está inseguro sobre a interação entre o animal e seu filho, fique sabendo que nessa relação entre crianças e animais todos saem ganhando! Diferentes estudos já comprovaram os benefícios de ter um pet em casa para a nossa saúde física e mental. Para as crianças, que estão em pleno desenvolvimento e aprendendo a viver nesse mundo, os benefícios do convívio com os pets podem ser ainda mais destacados. Vem com a gente que vamos te mostrar alguns deles!

Os benefícios do convívio das crianças com os pets

- Fortalecimento do sistema imune:

Uma das grandes preocupações dos pais em ter um animal em casa é de que os peludos desencadeiem alergias e outras doenças respiratórias nas crianças. Essa é uma crença antiga que ainda resiste nos dias de hoje, contudo, a história não é bem assim. Pesquisas apontam que o convívio com pets pode proteger as crianças de infecções e até mesmo diminuir os ricos de asma e dermatite atópica . Não se sabe ainda o motivo do animal estimular o sistema imune, acreditando-se que o convívio sirva como uma espécie de treino para as defesas do organismo. Até mesmo durante a gestação a criança pode ser beneficiada pela presença dos peludos. Alguns trabalhos ligam o convívio com os animais a uma melhor resposta imune.

- Estimula o cérebro e desenvolvimento motor:

Os dois primeiros anos de vida são fundamentais para o desenvolvimento cerebral da criança, sendo essencial que ela receba uma quantidade adequada de estímulos para gerar as conexões entre os neurônios. Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, os animais são aliados nesse momento. A interação com o pet leva a criança a tentar varias vezes uma mesma atividade, como fazer carinho, pegar, etc. Dessa forma, a criança aperfeiçoa sua motricidade, equilíbrio, flexibilidade, etc.

- Estimula o desenvolvimento emocional e da empatia:

A inteligência emocional e a empatia são apontadas como duas das principais habilidades do futuro. Um das formas de desenvolver essas habilidades no seu filho desde cedo é contar com um animal de estimação em casa. São diversos os estudos que mostram que o convívio com os peludos contribui para o desenvolvimento das habilidades de autocontrole, socialização e capacidade afetiva. Além disso, contribui para que a criança aprenda a interpretar as necessidades e sentimentos do outro, desenvolvendo a empatia.

- Ensina sobre a vida:

O convívio com os animais contribui para que a criança entenda desde cedo o funcionamento da vida e seus ciclos, como reprodução, nascimento, desenvolvimento e morte, bem como os percalços que existem nesse caminho. São lições que contribuem para que lá na frente ela saiba lidar melhor com os acontecimentos de sua vida.

- Estimula a prática de atividade física:

O sedentarismo é capaz de gerar consequências graves na saúde física e mental, devendo ser sempre combatido com estímulos a atividades físicas. Ter um animal em casa, especialmente os cães, contribui muito nesse sentido. Os cães necessitam passear, brincar e gastar energia, o que, por consequência, acaba levando também os donos a se mexerem. Vale lembrar que a obesidade infantil é uma realidade preocupante e um dos motivos, além da presença exagerado dos ultraprocessados na dieta, é o modo de vida mais sedentário da vida contemporânea.

Convivência pets X crianças na vida real: Entrevista com Camile Pasquarelli 

A nossa ilustradora Camile Pasquarelli, é veterinária de formação, e quando o Bento chegou à vida dela, já convivia com peludos em casa. Aproveitamos para conversar com ela sobre como é essa relação entre o Bento e os pets e quais os benefícios que ela enxerga dessa convivência:

Camile, quando você ficou grávida, você já tinha muitos pets. Em algum momento ficou com medo de como seria a relação entre seus peludos e seu bebê? Como lidar com esse sentimento?

"Eu não tive medo em relação aos pets, pois já sabia que eles são dóceis e queridos, apesar de a maioria das pessoas ao meu redor dizer que seria “loucura” e “impossível” ter um bebê no meio de 3 gatos e 3 cachorros."

Como foi o início da relação do Bento entre os pets? Já ouviu críticas de terceiros por essa proximidade entre eles desde o colo?

Os pets sempre foram muito respeitosos com ele e vice versa. A única coisa que aconteceu foi no começo, a Elvira, minha chihuahua, ficou com muitos ciúmes (risadas). Mas aos poucos fomos mostrando pra ela que o Bento era um novo integrante da família. Em relação às pessoas, ouvi muuuuuitas críticas (na verdade, ainda ouço). Dizem que é sujo, que transmite doenças, que é perigoso. Para lidar com isso eu escuto essas opiniões, agradeço e digo que ninguém, além de mim e meu marido, sabem o que é melhor pro nosso filho. E digo que acreditamos ser saudável um bebê crescer rodeado de animais.

Hoje como é a dinâmica da casa com o Bento e os peludos? Quais as vantagens para o Bento, você sente, de ter esse convívio diário com os animais?

A casa ficou muito mais alegre. Os animais ganharam um novo irmão. A Elvira amaaa brincar com ele e já faz até festa quando o vê. As vantagens são inúmeras né? Um bebê crescer com animais é muito saudável e gostoso. Aprender desde pequeno a respeitar os animais.

Não compre, adote!

Como é podemos perceber os benefícios do convívio entre crianças e pets são muitos e relevantes para o desenvolvimento socioemocional e do próprio organismo. Além disso, não podemos nunca deixar de citar todo amor na forma mais pura que os peludos nos oferecem sem pedir nada em troca. É importante lembrar que apenas a cidade de São Paulo conta com cerca de 2 milhões de animais abandonados na rua, um número que não para de crescer, o que foi potencializado durante a pandemia. Outro ponto que não pode ser esquecido são as diversas denuncias de maus tratos relacionados a canis e criadores de animais de raça. Assim se você está pensando em ter um animal em casa, considere a adoção de animais. Esse gesto de amor não tem preço e todos saem ganhando, especialmente nesse momento. Grandes redes de pet shops, como a Cobasi e Petz possuem stands fixos ou recebem feiras de adoção de animais aos finais de semana. Outra opção é o Centro Municipal de Adoção de Cães e Gatos, que durante a pandemia está funcionando com horários agendados.

Você ainda pode acessar sites de ONGs como a Adote um Focinho, Amigo Não se Compra, ProCães, entre muitas outras. Grupos de Facebook dedicados a adoção de animais também podem ser uma boa opção para encontrar o seu pet. O que não falta são meios e canais para adotar!

Dê um lar para um peludo, nessa relação, todos saem ganhando, inclusive as crianças.

Até a próxima!

Deixe um comentário

Todos os comentários serão validados antes de serem publicados
Parabéns, agora você faz parte!